Somogyi Nelson: da medicina para o setor sucroalcooleiro

Somogyi Nelson é o assunto da coluna Por Dentro da Tecnologia, que explica diversos processos utilizados em pesquisas e processos de fermentação alcoólica e fabricação do açúcar.

Somogyi Nelson é um método amplamente empregado no setor sucroalcooleiro para quantificação do teor de açúcares redutores em diversas amostras fornecendo resultados confiáveis e precisos para as perdas industriais em geral. O método foi desenvolvido e adaptado pelos bioquímicos Michael Somogyi e Norton Nelson, ainda nas décadas de 40 e 50, inicialmente para a detecção de açúcares no sangue, nas universidades de medicina e hospitais onde atuavam.

Os procedimentos analíticos evoluíram ao longo dos anos e hoje o método é aplicado, com adaptações e melhorias, para determinação dos teores de açúcares em caldos de cana em geral, mostos, vinhos, xaropes e méis, sendo utilizado principalmente para quantificação em amostras com teores mais reduzidos de açúcares, devido a sua sensibilidade, como águas industriais (lavagem de cana, residuais, colunas barométricas e multijatos), torta de filtro e bagaço, fornecendo no caso desta última amostra dados para mensuração da extração de moendas e difusores.

Este método baseia-se na propriedade que alguns açúcares apresentam em reduzir o Cu+2 (Íon Cúprico) em Cu+1 (Íon Cuproso) e também na reação de Molibdatos, sob certas condições, com arseniatos, silicatos, entre outros, para formar complexos heteropolares que após redução controlada fornece o composto “azul de molibdênio” que poderá ser mensurado colorimetricamente em espectrofotômetros.

Os açúcares redutores da amostra em questão, aquecidos em meio alcalino, transformam-se em Enodióis que reduzem o Íon Cúprico presente no reativo de Somogyi, a Íon Cuproso. O Óxido Cuproso (Cu2O), assim formado, reduz o composto Arsênio-Molibídico para Óxido de Molibdênio de coloração azul cuja intensidade de cor é proporcional a quantidade de açúcares redutores existentes na amostra.

Na cana-de-açúcar encontramos a glucose e a frutose, que são açúcares que apresentam esta propriedade (são chamados assim de açúcares redutores) mas encontramos principalmente a sacarose, presente em grande quantidades, mas que não apresenta está propriedade de redução. Assim, quando se objetiva a determinação do teor total de açúcares, faz-se necessária a hidrólise ácida da sacarose, que fornecera glucose e frutose, que poderão ser quantificadas conforme reações descritas acima.

Hoje, a metodologia evoluiu e tanto a Fermentec quanto seus clientes não utilizam mais o Arseniato de sódio, uma substância tóxica. Para reduzir os impactos no meio ambiente e zelar pela saúde e condições de segurança dos trabalhadores dos laboratórios o reagente foi substituído pelo Silicato de sódio, que é menos tóxico. Esta tecnologia foi desenvolvida pela Fermentec há seis anos com a preocupação de substituir reagentes tóxicos das análises químicas.

Referências:

NELSON, N. A fotometric adaptaion of Somogyi method for the determination of glucose. J.Biol.Chen. , v. 153, p. 375-80, 1944.

SOMOGY, M. A New Reagent for Determination of Sugars. A new Sugar Reagent, May p. 61 — 68, 1945.

Métodos Analíticos Fermentec – Versão 2003 e 2012.

A reprodução deste conteúdo é permitida desde que citada a fonte

Fonte: site Fermentec News link: http://fermentecnews.com.br/2012/05/18/somogyi-nelson/

Esta entrada foi publicada em Por dentro da tecnologia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>