Leveduras personalizadas são tema de tese de doutorado na Unesp

As leveduras personalizadas, que há anos são objetos de estudo da Fermentec, agora ganham importância também nas universidades. Fernando Antonio da Costa Figueiredo Vicente, aluno do Programa de Pós-Graduação em engenharia e Ciência de Alimentos, da Unesp de São José do Rio Preto, defendeu sua tese de doutorado “Seleção, avaliação e aplicação de uma levedura personalizada para a produção de etanol.”

A pesquisa selecionou uma linhagem de levedura mais adaptada ao processo fermentativo da Usina Alta Mogiana, que produz 160 milhões de litros de etanol por ano. O experimento foi conduzido na própria unidade, localizada na região de São Joaquim da Barra, estado de São Paulo. Os experimentos foram conduzidos considerando que o melhor caminho para descobrir um fermento robusto foi a seleção natural da linhagem dominante e persistente presente na fermentação industrial. Os passos principais foram:

1) monitorar a população de linhagens dominantes e persistentes por cariotipagem;
2) avaliação das linhagens em pequena escala;
3) reintrodução da melhor linhagem industrial no processo fermentativo e
4) avaliação do desempenho industrial.

Resultados:
- Mais estabilidade no processo;
- Devido a robustez desta levedura a Usina foi capaz de subir o teor alcoólico trabalhando com mostos a base de melaço e água;
- Aumento no RTC que, em parte, foi atribuído à levedura (outros fatores também contribuíram);
- Redução do volume de vinhaça (redução de 192 milhões de litros de vinhaça por safra);
- Economia com o transporte de vinhaça (R$ 1.039.269,00 por safra);
- Redução do consumo de vapor para destilação do vinho e aumento do bagaço para venda ou co-geração (economia de 15.000 ton por safra no valor de R$ 900.000,00).

Em 2007, duas usinas utilizaram leveduras personalizadas em seus processos. Em 2014 o número chegou a nove unidades clientes Fermentec que produzem etanol utilizando suas próprias leveduras. Essas linhagens têm apresentado 100% de dominância e e índices próximos a 90% de persistência e vem se consolidando como uma tendência nas unidades que fermentam com alta eficiência.

Esta entrada foi publicada em Tecnologia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>