Os benefícios das leveduras personalizadas

Por Clivonei Roberto, Leonardo Ruiz e Luciana Paiva do portal CanaOnline

Na década de 1970, a agroindústria canavieira utilizava a levedura de panificação em seu processo industrial, pois era a única que existia na época e tinha um preço acessível. Mas ninguém entendia o porquê que no meio da safra tudo ficava mais complicado: a levedura podia flocular, sobrava açúcar na dorna, era necessário bombear essa dorna para destilação. O prejuízo era certo. O rendimento era muito baixo, em torno de 77% a 80%, ou seja, de cada 100 kg de açúcar, só se recuperava 77 kg.

Hoje, com o advento da tecnologia e as pesquisas que ocorreram nessa área, o rendimento chega a 91%, a 92%. Mas como houve esse salto tecnológico? “Primeiramente a Fermentec isolou as leveduras selecionadas, que estão no mercado desde a década de 1990. Surgiram a PE2, a CAT1. Mais recentemente, isolamos mais duas leveduras: a FT-858L e a FERMEL”, relata Henrique de Amorim Neto, vice-presidente da Fermentec. “No passado, quando se usava levedura de panificação, uma semana depois ela já não estava mais no processo. Só descobrimos que a levedura de pão não permanecia no processo depois que a Fermentec implantou a técnica de cariotipagem para o setor sucroenergético. Com as leveduras selecionadas passaram a demonstrar um resultado espetacular, porque duravam até o final do processo.”

Veja matéria completa na editoria Tecnologia Industrial na nova edição da CanaOnline. Visualize a edição no site ou baixe grátis o APP CanaOnline para tablets e smartphones – www.canaonline.com.br

Esta entrada foi publicada em Tecnologia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>