Vantagens da utilização de HPLC com Índice de Refração na rotina do Laboratório Industrial*

A cromatografia é uma das técnicas mais utilizadas no mundo, com aplicações em diversos segmentos e considerada uma das técnicas mais versáteis de separação e quantificação de substâncias. Nos últimos anos a técnica vem sendo aplicada com sucesso no setor sucroenergético satisfazendo as demandas de robustez e precisão analítica, gerando resultados confiáveis atendendo todos os requisitos de operacionalidade.

Fig. 1. Cromatógrafo LC-2030C LT Plus (Shimadzu).

Estabilidade, Robustez e Versatilidade

A detecção por índice de refração é estável, robusta e versátil. A estabilidade do detector é devido à tecnologia de controle duplo de temperatura na célula de fluxo, ou seja, a temperatura externa não influencia na variação da linha de base. A robustez e a versatilidade estão em um único equipamento integrado capaz de analisar tanto carboidratos quanto ácidos orgânicos e etanol.

Autoamostrador refrigerado

Devido à alta demanda, as análises do laboratório podem ser automatizadas através do amostrador automático com bateladas de até 216 amostras refrigeradas. Além da diminuição dos erros embutidos na injeção manual, o autoamostrador refrigerado conservará as amostras para que não haja degradação durante a batelada. Dessa forma, as análises terão maior repetibilidade e serão mais reprodutíveis.

Alta eficiência sem grandes requisitos!

O simples preparo das amostras, as baixas diluições e a identificação de diferentes compostos em uma única análise tornam a sua operação mais fácil para a rotina do dia a dia. Além disso, a menor frequência de calibração, a boa separação, faixas lineares e limite de detecção e quantificação baixos utilizando apenas água tipo 1 como fase móvel, fazem da técnica de cromatografia por índice de refração a solução ideal em um laboratório industrial.

Maior eficiência na separação

O HPLC com índice de refração permite corridas rápidas sem perda de eficiência na separação. A Fig.2 mostra a boa separação dos padrões que permite a calibração multicomponente com alta precisão. Em detalhe, é possível observar diferentes amostras do processo industrial como mel, xarope e mosto, trazendo confiabilidade e reprodutibilidade nos resultados. Além disso, o detector de índice de refração permite a quantificação de etanol em mesma corrida o que não é possível em outros tipos de detectores aplicados para carboidratos.

Fig.2. Perfil cromatográfico de separação de carboidratos e etanol.

Análises rápidas com menor custo e maior produtividade

Com simples preparo de amostras e utilizando apenas água ultrapura como fase móvel, o sistema realiza a análise dos açúcares (sacarose, glicose, frutose, manitol, glicerol e etanol) em corridas de apenas 10 minutos. Dessa forma, é possível monitorar perdas do processo com maior produtividade e menor custo.

Versatilidade

Através do mesmo equipamento, necessitando apenas a troca de coluna, é possível monitorar contaminações no processo através das análises de ácidos orgânicos (ácidos succínico, acético, lático, etc.). A Fig.3 mostra uma cinética fermentativa realizada em uma dorna de hora em hora para acompanhar o que ocorre com ela no decorrer do processo fermentativo.
Além disso, também é possível acompanhar fermentações de milho, tais como DP4+, DP3+, etc.).

Fig.4. Cinética fermentativa.

*Conteúdo patrocinado pela empresa Cetec

Esta entrada foi publicada em Webmeeting Fermentec e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>